AQUELA CIA. (Brasil)


Caranguejo Overdrive

Estreia Nacional

No âmbito do FITEI 2018

Ter 12 Jun ⁄ 21h30 & Qua 13 Jun ⁄ 19h00


Palco do Grande Auditório • Rivoli

10,00EUR • M/12 

bilhetes

Encenação Marco André Nunes
Texto Pedro Kosovski
Atores Carol Virguez, Alex Nader, Eduardo Speroni, Matheus Macena, Fellipe Marques
Músicos em cena Maurício Chiari, Pedro Leal e Pedro Nego
Direção Musical Felipe Storino
Iluminação Renato Machado
Operação de luz Tamara Torres
Produção Núcleo Corpo Rastreado
Produção Executiva Thaís Venitt
Realização Aquela Cia de Teatro
Duração aprox. 1h 
“Caranguejo Overdrive” conta a história de Cosme, ex-apanhador de caranguejos no mangue carioca da metade do século XIX. 
Convocado para integrar as forças brasileiras na Guerra do Paraguai, enlouquece no campo de batalha, volta ao Rio de Janeiro e encontra uma cidade em grande transformação. Marcado pela experiência da guerra e sentindo-se exilado na sua própria terra, Cosme procura reconhecer a cidade perdida e recriar uma novacartografia da cidade a partir dos labirintos de ruas e becos que encontra. “Caranguejo Overdrive” não é uma peça-documentário, mas uma obra que recorre a uma base documental para compor uma ficção que atualiza umareflexão sobre o Rio de Janeiro de hoje. Essa atualização da narrativa histórica apoia-se num diálogo com a estética e a sonoridade do movimento artísticomanguebeat, de Chico Science, e tem também como referência o pensamento de Josué de Castro, em obras como Geografia da Fome e Homens e Caranguejos. 


Ancorada a princípio nas relações entre teatro e literatura, Aquela Cia. — nascida da reunião de artistas vindos das várias escolas de teatro do Rio de Janeiro — montou em 2005 o Projeto K. (a partir da vida e obra de Franz Kafka); vieram em seguida “Sub:Werther”, “Lobo nº1 [ A Estepe]”e “Do Artista Quando Jovem”. Em 2011, a linha de trabalho passou a investigar a relação entre teatro, música e espetacularidade, com, entre outros, “Outside”, um musical noir (a partir do encarte do álbum homônimo de David Bowie) e “Cara de Cavalo” (que narra a trajetória trágica do inimigo público nº 1 do Rio de Janeiro em 1964, e suas interlocuções com a obra do artista Hélio Oiticica).
AQUELA CIA. (Brasil) - © Elisa Mendes

© Elisa Mendes

calendário