François Chaignaud & Nino Laisné

Romances inciertos - un autre Orlando
França & Espanha
Estreia Nacional

Outubro

26 Sex 21.00h & 27 Sáb 19.00h


Salão Árabe do Palácio da Bolsa

10.00€ • >6 

bilhetes

Conceção e Direção Musical Nino Laisné
Conceção e Coreografia François Chaignaud
Voz e Interpretação François Chaignaud
Bandonéon Jean-Baptiste Henry
Viola da Gamba François Joubert-Caillet / Robin Pharo / Thomas Baeté Tiorba and Guitarra Barroca: Daniel Zapico / Pablo Zapico
Percussão Pere Olivé
Desenho de Luz e Direção de Cena Anthony Merlaud
Técnico de Som Charles-Alexandre Englebert
Figurinos Carmen Anaya, Kevin Auger, Séverine Besson, María Ángel Buesa Pueyo, Caroline Dumoutiers, Pedro García, Carmen Granell, Manuel Guzmán, Isabel López, María Martinez, Tania Morillo Fernández, Helena Petit, Elena Santiago
Cenário Marie Maresca
Pinturas Fanny Gaudreau
Edição de Imagem Remy Moulin, Marie B. Schneider
Apoio Técnico Christophe Charamond, Emanuel Coelho
Administração Barbara Coffy, Jeanne Lefèvre, Clémentine Rougier, Céline Peychet
Tour Manager Sarah De Ganck - Art Happens
Produção Executiva Vlovajob Pru & Chambre 415
Coprodução Bonlieu Scène nationale Annecy e La Bâtie - Festival de Genève com o apoio do FEDER programme INTERREG France-Switzerland 2014-2020, Chaillot – Théâtre national de la Danse, deSingel — Anvers, Maison de la musique de Nanterre, Arsenal / Cité musicale-Metz.
Duração aprox. 1h10
 

em paralelo

“Romances inciertos – un autre Orlando” é, ao mesmo tempo, um concerto e um recital, construído em três atos, numa reminiscência da chamada ópera-ballet. 
Neste espetáculo aparecem, sucessivamente, a Donzela Guerreira, que nos guia, num contexto medieval, atrás do rasto de uma jovem que se alista no exército sob a imagem de um homem; o São Miguel, de García Lorca, arcanjo voluptuoso e objeto de devoção, tão engalanado como dolente, levado em procissão durante a Semana Santa; e Tarara, cigana andaluza que, devido a um desgosto de amor, oscila entre o misticismo e a sedução, escondendo uma secreta androginia.

Nino Laisné desenvolve, há alguns anos, um universo singular em que a imagem ocupa um lugar privilegiado. Marcadas pela estranheza, desenvolvem-se e surgem e diálogos com outros suportes como o cinema e a música, mas também através de elementos históricos e sociológicos, a arte, as tradições populares, a moda, o cabaret e a ópera. Estas conexões, mais ou menos visíveis, juntamente com a importância da cultura hispânica, fazem das investigações artísticas do autor um conjunto rico e inclassificável. Músico e cinéfilo, constrói o seu universo plástico a partir dos vocabulários da sétima arte e do espetáculo, criando diálogos baseados mais no som que na palavra.

François Chaignaud nasceu em Rennes e estudou dança desde os seis anos. Graduou-se, em 2003, no Conservatório Nacional Superior de Dança de Paris (França) e, desde cedo, colaborou com vários coreógrafos, como Boris Charmatz, Emmanuelle Huynh, Alain Buffard e Gilles Jobin. Chaignaud desenvolve trabalhos que articula dança com música, apresentando em espaços diversos e com diferentes fontes de inspiração. O âmbito da sua investigação estende-se desde os percursores da coreografia moderna dos princípios do século XX) às práticas mais atuais, das técnicas e simbologias do bailado clássico às danças urbanas. Desde 2005trabalha, com Cecilia Bengolea, na companhia Vlovajob Pru, com quem criou obras aclamadas pela crítica internacional. Desenvolve ainda inúmeras parcerias com artistas de diferentes áreas artísticas.  
Conversa pós-espetáculo com Rossana Mendes Fonseca - © Nino Laisné

© Nino Laisné

calendário