MALA VOADORA


Moçambique

Reposição
No âmbito do IETM Porto Plenary Meeting 2018

Abril

QUI 26 ABR ⁄ 19H00


RIVOLI Grande Auditório

7,50EUR • M/16 

bilhetes

Texto e direção Jorge Andrade
Com Bruno Huca, Isabél Zuaa, Jani Zhao, Jorge Andrade, Matamba Joaquim, Tânia Alves, Welket Bungué
Cenografia José Capela
Figurinos José Capela com execução de Aldina Jesus
Vídeo ANIMA e Bruno Canas
Banda Sonora Rui Lima e Sérgio Martins
Luz Rui Monteiro
Coreografia Bruno Huca
Fotografias de cena Bruno Simão e José Carlos Duarte
Imagem de divulgação António MV
Vídeo de divulgação Jorge Jácome e Marta Simões
Assistência Francisco Campos Lima
Direção de produção Joana Costa Santos
Apoio à residência artística em Moçambique Centro Cultural Português – Maputo/Instituto Camões
Apoio CAAA, Hotel Peninsular, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional São João
Residência artística O Espaço do Tempo
Coprodução Teatro Municipal Maria Matos, Teatro Municipal do Porto, Teatro Viriato
Duração aprox. 1h30
 
Para os portugueses que voltaram para Portugal após a independência de Moçambique, ou mesmo antes, a História política mistura‐se com a sua história de vida.
Não se trata apenas do mero facto de essas pessoas terem sido protagonistas da História, ou de uma parte de uma História, mas também do que isso implica no seu olhar sobre os próprios acontecimentos que protagonizam. Por um lado, o que se passa é político: está em causa a autonomia de um território, um regime de governação, paradigmas ideológicos. Por outro, há a vida de cada um: carreiras profissionais, lugares de poder, casas e propriedades, um determinado nível de vida e um determinado estatuto... enfim, o sentido de “realização pessoal”. No espetáculo “Moçambique”, Jorge Andrade constrói uma narrativa para o que poderia ter sido essa vida que não lhe calhou. Constrói uma autobiografia ficcional, como se tivesse regressado a Moçambique, onde nasceu. E vai ter de impor a sua própria história, ficcional, à História do país, de modo a que a primeira seja credível. Jorge Andrade passa a fazer parte da História de Moçambique. — mala voadora  


MALA VOADORA • Em 2017, a mala voadora é uma companhia de teatro cuja ação, tendo como centro a produção de espetáculos, se estende tentacularmente a um conjunto de atividades de programação que tem lugar sobretudo no antigo armazém que ocupa na Rua do Almada, no centro da cidade do Porto. Amala voadora foi fundada em 2003 por Jorge Andrade (encenador, ator e dramaturgo) e José Capela (cenógrafo e arquiteto), responsáveis pela direção artística, aos quais se juntaram, em 2013, Vânia Rodrigues como coordenadora de gestão e programação, e Joana Costa Santos agora responsável pela direção de produção. Para além de Portugal, a mala voadora apresentou espetáculos em: Alemanha, Bélgica, Bósnia-Herzegovina, Brasil, Cabo Verde, Escócia, Estados Unidos da América, Finlândia, França, Grécia, Inglaterra, Líbano e Polónia.
MALA VOADORA - © José Carlos Duarte

© José Carlos Duarte

calendário