Público Reservado

Estava em casa e esperava que a chuva viesse
Estreia

Setembro

22 Sáb 21.00h & 23 Dom 17.00h


CAMPO ALEGRE Palco do Auditório

7.50€ • >16

bilhetes

Autor Jean-Luc Lagarce 
Tradução Alexandra Moreira Silva
Encenação Renata Portas
Espaço cénico Inês Mota / Renata Portas
Interpretação Renata Portas, Silvia Santos, Maria Inês Peixoto, Raquel Cunha e Cláudia Lázaro
Desenho de luz Diogo Mendes
Figurinos Jordann Santos
Sonoplastia Pedro Sousa
Comunicação e Design lina&nando
Cenografia Inês Mota
Registo Vídeo Frame
Fotografia Pedro Figueiredo
Produção executiva Público Reservado/ Mafalda Garcia
Apoio Les Solitaires Intempestifs, Assedio Teatro, ESAP, Teatro Nacional São João, FGDA

Duração aprox. 2h05
 
Uma casa, cinco mulheres.
Um homem que volta para morrer, para se despedir. Cinco mulheres que cessaram de existir (mas não de querer) no dia em que este homem dobrou a esquina... “Estava em Casa e Esperava Que A Chuva Viesse” é um texto sobre a experiência da perda e da reinvenção da memória. Fala-se para engolir o tempo. Ficciona-se o mesmo. Adultera-se aqui e acolá, modificam-se factos, de modo a avançar no tempo, na ação, na estória. Aqui busca-se um espaço de intimidade, de escuta destas vozes, destas mulheres, que mais não são que sombras, vultos sonoros.

A Público Reservado nasceu em 2013 como necessidade de consolidar o trabalho de Renata Portas, com colaboradores regulares, de modo a sistematizar os signos artísticos que vêm desenvolvendo como encenadora desde 2006. Desenvolve um trabalho experimental, fundado na linguagem, na investigação da política e do lugar do teatro como disciplina autónoma.
Editam regularmente e promovem atividades paralelas aos espetáculos. Trabalham sobre a dramaturgia que radica em textos de cena, como “A Cena”, de Novarina, ou montagem de textos, como “As Ruínas de Tácito - Uma Trilogia Teatral”. 
Público Reservado -

calendário