VERA MANTERO


O Limpo e o Sujo

Coprodução

Sex 11 NOV ⁄ 21h30 & Sáb 12 NOV ⁄ 19h00


Auditório • Campo Alegre

7,50 eur • M⁄6

Duração aprox. 1h15

bilhetes

Direção artística Vera Mantero
Interpretação e cocriação Elizabete Francisca, Volmir Cordeiro, Vera Mantero
Criação musical João Bento
Espaço cénico e figurinos João Ferro Martins
Desenho de luz Eduardo Abdala
Ensaiadora Carolina Campos
Produção O Rumo do Fumo (estrutura financiada pelo Ministério da Cultura/Direcção-Geral das Artes)
Coprodução Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Municipal do Porto, LE CND, un centre d’art pour la danse e Musée de la danse - Centre Chorégraphique National de Rennes et de Bretagne
Residência artística Materiais Diversos
Apoios Instituto de Emprego e Formação Profissional, IP/Estágios Emprego; Câmara Municipal de Lisboa / Polo Cultural Gaivotas | Boavista; EGEAC; Culturgest
Agradecimentos Carolina Campos e Vítor Roriz
Coprodução da rede Imagine 2020 com o apoio do Programa Europa Criativa da União Europeia.

Manusear materiais do mundo: uma das formas possíveis de descrever aquilo que fazemos na arte.  
Manusear objetos, imagens, palavras, movimentos, intensidades. Manusear espaços, tempos, afetos, desejos, vibrações. Manusear fantasmas. Sujarmo-nos nesse manuseio. Limparmo-nos nesse manuseio. Um manuseio que, à medida que é percorrido, se torna ferramenta de equilíbrios vários, de ecologias várias, pessoais e sociais. Uma ferramenta específica para reinventar maneiras de ser! É onde reside a riqueza, a densidade, o sentido. - Vera Mantero 


Vera Mantero
estudou dança clássica com Anna Mascolo e integrou o Ballet Gulbenkian entre 1984 e 1989. Tornou-se um dos nomes centrais da Nova Dança Portuguesa, tendo iniciado a sua carreira coreográfica em 1987 e mostrando o seu trabalho por toda a Europa, Argentina, Brasil, Canadá, Coreia do Sul, EUA e Singapura. Desde 2000 dedica-se também ao trabalho de voz, cantando repertório de vários autores e cocriando projetos de música experimental. Em 1999 a Culturgest organizou uma retrospectiva do seu trabalho até à data, intitulada “Mês de Março, Mês de Vera”. Representou Portugal na 26ª Bienal de São Paulo 2004, com Comer o Coração, criado em parceria com Rui Chafes. Em 2002 foi-lhe atribuído o Prémio Almada (IPAE/Ministério da Cultura Português) e em 2009 o Prémio Gulbenkian Arte pela sua carreira como criadora e intérprete.

CONVERSA PÓS-ESPETÁCULO • SEX 11 NOV
Moderada por Luísa Oliveira
Técnica de Sensibilização da SUMA - Serviços Urbanos e Meio Ambiente, S.A.

EU TAMBÉM VOU! • SEX 11 NOV ⁄ 21H15 & SÁB 12 NOV ⁄ 18H45 
Brincar com lama faz-me rir
Com Joana Espanha
Serviço de babysitting performativo para crianças dos 5 aos 10 anos
Inscrição prévia para: paralelo.tmp@cm-porto.pt (até 24h de antecedência)
2€ por criança

AQUECIMENTO PARALELO • SÁB 12 NOV ⁄ DAS 17H00 ÀS 18H00 • Sala-Estúdio do Teatro Campo Alegre
Com Joana Castro

O uso da voz, um corpo articulado, visceral e potente, uma presença forte e intensa e temas artísticos em torno da ecologia, precariedade, sexualidade e (i)materialidade, manuseando espaços e afetos que são entre outros, pontos comuns a Joana Castro e Vera Mantero. Partindo do novo trabalho de Vera Mantero “O Limpo e o Sujo”, Joana Castro, abordará a prática artística transversal que tem vindo a desenvolver na cidade.

Inscrição prévia para: paralelo.tmp@cm-porto.pt (até 24h de antecedência)
Gratuito mediante apresentação de bilhete para o espetáculo “O Limpo e o Sujo”
*Coordenação de Cristina Planas Leitão
 

VERA MANTERO - © Tuna

© Tuna

calendário