Ana Rita Teodoro

Assombro
DDD – Festival Dias da Dança 2019

Maio

9 Qui 17.00h & 10 Sex 19.00h


RIVOLI Pequeno Auditório

5.00€• >12 

bilhetes

Coreografia e Interpretação Ana Rita Teodoro
Desenho de Luz José Álvaro Correia
Adaptação do desenho de luz e operação Jay Collin
Produção Associação Parasita
Coprodução Théâtre de Vanves
Com o apoio de Fundação Calouste Gulbenkian, CND Pantin (Centre National de la Danse) Residências Artísticas: Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo, Portugal), CND Patin (Centre National pour la Danse, Pantin)
Duração aprox. 45 mins  
A sombra de um país não larga o seu corpo.
Presente mas ignorada, essa sombra é parte integrante do sujeito e da sua identidade cultural. Um solo que apresenta uma série de quadros vivos, canções que emergem de uma voz deslocada da boca, “Assombro” tenta compreender pela dança e a reativação de cantos tradicionais portugueses, os fantasmas que nos assombram hoje. Chamá-los, ouvir as suas vozes e através de meios de dissociação, procurar a transgressão. A partir de canções de mulheres, as músicas foram selecionadas dos registos de Giacommetti (anos 60/70), do projeto “A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria”, de Tiago Pereira, e de fontes de transmissão oral familiar. Um pretexto para falar da crise de identidade e das condições femininas. Que lugar resta para as canções do passado, em perigo de serem esquecidas nos arquivos? Canções engolidas pelo tempo reivindicam a sua voz atual.


Ana Rita Teodoro nasceu em 1982. É mestre em Dança, Criação e Performance pelo CNDC de Angers e pela Universidade Paris 8, tendo desenvolvido a criação de uma “Anatomia Delirante”. Mais recentemente, desenvolveu uma pesquisa em torno da transmissão da dança butoh com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e do CND (Centre National pour la Danse, França) que resultou na conferência dançada “Your Teacher, please”. Estudou o corpo através das disciplinas de anatomia, paleontologia e filosofia no c.e.m. com Sofia Neuparth, e o Chi Kung na Escola de Medicina Tradicional Chinesa de Lisboa. Criou as peças “MelTe”, apresentado em 2016 no Festival DDD – Dias da Dança; “Orifice Paradis”, “Sonho d’Intestino”, “Palco”, apresentados no Festival DDD – Dias da Dança 2018; e “Assombro”. Colabora com diferentes artistas em projetos pontuais. É artista associada da Associação Parasita em Portugal com João dos Santos Martins e artista associada do CND desde 2017.
Ana Rita Teodoro - © Nuno Figueira

© Nuno Figueira