NUNO CARDOSO ⁄ AO CABO TEATRO


Apeadeiro

Encenação de Nuno Cardoso

Coprodução

Setembro

SÁB 30 Set / 19h00 & 21h30


RIVOLI Palco do Grande Auditório

7,50EUR • M/16
15,00EUR BILHETE CONJUNTO / Náufrago + Subterrâneo + Apeadeiro
*O Bilhetes Conjunto inclui entrada para os 3 espetáculos
**À venda na bilheteira do Teatro Rivoli

bilhetes

Criação Nuno Cardoso
Interpretação Nuno Cardoso e Francisco Cardoso
Dramaturgia Nuno Cardoso a partir da Samuel Beckett
Cenografia F Ribeiro
Música/Sonoplastia Peixe
Produção Executiva Sandra Carneiro
Coprodução Teatro Municipal do Porto, Centro Cultural Vila Flor e Centro de Artes de Ovar
 
“Apeadeiro”, terceira etapa deste tríptico, ainda sem titulo especifico ao espetáculo, é o mais autobiográfico dos três projetos. 
Tomando como território referencial a vila onde nasceu e cresceu Nuno Cardoso, este projeto tem como pressuposto fundador e repto para a criação a frase "o meu corpo é a minha terra, a minha terra está no meu corpo". Com esta frase inicia-se a busca de um lugar de criação fundado na memória corporal, no gesto que ficou como marca distintiva de personalidade e que está inextricavelmente ligado ao contexto social e geográfico que o forjou. Este espetáculo não pretende ser uma criação sobre Canas de Senhorim real; é, antes, a anatomia de uma identidade que Nuno Cardoso tem transportado na sua prática como criador. É, no entanto, a paragem desta trilogia que convoca a noção de autobiografia, não projetando sobre textos de outrem o ponto de partida da criação. 


Nuno Cardoso iniciou o seu percurso teatral no CITAC – Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra. Como ator, destacam-se "Um Processo", a partir de Franz Kafka (enc. Paulo Lisboa, CITAC/1994), "O Subterrâneo", de Fiodor Dostoievski (enc. Paulo Castro, Visões Úteis/1995), "Gato e Rato", de Gregory Motton (enc. João Paulo Seara Cardoso, Visões Úteis/1997), entre outros. Foi um dos fundadores do colectivo Visões Úteis, onde encenou "As Aventuras de João Sem Medo", a partir da obra homónima de José Gomes Ferreira (1995), "Casa de Mulheres", de Dacia Maraini (1996), e "Porto Monocromático" (1997). De 1998 a 2003, foi Director Artístico do ANCA. No TNSJ, assumiu a Direcção Artística do Teatro Carlos Alberto entre 2003 e 2007. O seu percurso inclui ainda as encenações de "Ricardo II", de William Shakespeare (TNDM II,2007), "As Três Irmãs", de Anton Tchékhov (2011), "Medida por Medida", de William Shakespeare (2012), "Porto S. Bento", criação colectiva (2012), "A Visita da Velha Senhora", de Friedrich Dürrenmatt (2013), "Britânico", de Jean Racine (2015) e “O Misantropo”, de Moliére (2016), entre outros. Assumiu, desde 2002, a direção artística do Ao Cabo Teatro.


///
CONVERSA PÓS-ESPETÁCULO COM VALDEMAR CRUZ • SÁB 30 SET (APÓS A APRESENTAÇÃO DAS 21H30)
Jornalista

NUNO CARDOSO ⁄ AO CABO TEATRO -

calendário