Teatro Experimental do Porto - © José Caldeira

© José Caldeira

2018

Novembro

14 Qua — 17 Sáb 21.00h

CAMPO ALEGRE Palco do Auditório

7.50€ (p/ espetáculo) • 15.00€ (Bilhete conjunto: O grande tratado da encenação + A tecedeira que lia Zola + Maioria absoluta)
>16 

Teatro Experimental do Porto

Maioria absoluta
No âmbito da Trilogia da juventude

Teatro
Em “Maioria Absoluta” o foco é o Portugal dos anos 90. Depois da eleição de Cavaco Silva, em 1987, por maioria absoluta, o país entrará num novo ciclo. 
O dinheiro que virá de Bruxelas permitirá um crescimento rápido de uma sociedade de consumo e da estabilização da qualidade de vida de uma classe média que se habituará a novos padrões de vida. O fervor revolucionário e, também, as crises económicas eram abandonadas para dar lugar a um país que se engalanava ciclicamente para mostrar as suas competências organizativas de nação moderna (Lisboa Capital da Cultura, em 1994 ou a Expo 98, por exemplo). Entretanto, Cavaco Silva ia alcatroando o país, abrindo universidades privadas dia sim, dia não e, lentamente, tentando atirar as artes e a cultura para a irrelevância. Para muitos, esses foram os melhores anos – foi então que atingiram a maioridade, que construíram as certezas mais absolutas, que escreveram inflamados poemas de amor a musas semanais, que lutaram contra as propinas, que se manifestaram dia sim, dia não.

O Teatro Experimental do Porto (TEP) é a mais antiga companhia teatral portuguesa e percursora do teatro moderno, tendo estreado o primeiro espetáculo em 1953, sob a direção artística de António Pedro. Em 2012, a direção artística foi assumida por Gonçalo Amorim, encenador residente desde 2010. 

Encenação e cocriação Gonçalo Amorim
Dramaturgia e cocriação Rui Pina Coelho
Assistência de Encenação e cocriação Sara Barros Leitão
Cenário, figurinos e cocriação Catarina Barros
Desenho de Luz e cocriação Francisco Tavares Teles
Música e cocriação Pedro João
Interpretação e cocriação Carlos Malvarez; Catarina Gomes; Eduardo Breda; Íris Cayatte; Mariana Magalhães; Pedro Galiza
Assistente de cenografia e figurinos Susana Paixão
Assistente de desenho de luz Renato Marinho
Coreografia de trapézio Daniel Seabra
Construção do Cenário Móveis Maia
Coprodução Teatro Municipal do Porto, Teatro Nacional D. Maria II
Agradecimentos Álvaro Costa, Ana Pedro Machado, Circolando, Eduardo Brandão, Erva Daninha, Isabel Leitão, José Dias Leitão, Manuela Barros, Pedro Barros, Rui Pinto Leite, Rui Ruão
Apoios CCT/TEP - ADICO
Duração aprox.: 1h20