TEATRO EXPERIMENTAL DO PORTO (TEP) -
2016

Setembro

De Qui 15 a Sáb 17 SET ⁄ 21h30
Dom 18 Set ⁄ 17h00
De Qua 21 a Sáb 24 SET ⁄ 21h30

CAMPO ALEGRE Palco do Auditório

7,50 Eur • M⁄12

Duração aprox. 1h30 

TEATRO EXPERIMENTAL DO PORTO (TEP)


Casa Vaga

Coprodução ⁄ Reposição

Teatro
Por volta de 1840, três portugueses emigram para o faroeste norte-americano em busca de melhores condições de vida e de trabalho. No Velho Oeste, são cowboys às avessas com o mito da fronteira do sonho americano.  
Leitores tão precipitados quanto entusiasmados das primeiras utopias socialistas, entre citações, discussões, baladas, tiroteios, poemas, piadas, cavalgadas pelas primeiras inquietudes do capitalismo, os três cowboys vão ensaiando a criação de um novo mundo onde viver. Contudo, face ao rude embate das suas utopias e projetos revolucionários com o modelo capitalista, terão que decidir que rumo dar à sua ação e o que fazer quando as suas mãos se sujam de sangue. “Casa Vaga” é uma coboiada que insiste em alguns interesses e temas presentes nos últimos anos de programação do TEP: na interpelação às reais condições de vida e de trabalho em Portugal, e na inquirição sobre os modos sistémicos de domínio que o modelo capitalista exerce sobre os indivíduos e sobre as suas aspirações de felicidade Misturando história e ficção, desejo e utopia, pistolas e livros, neste espetáculo, o mundo, o velho e o novo, é uma casa vaga que vamos ocupar. 

Teatro Experimental do Porto (TEP) é a mais antiga companhia teatral portuguesa em funcionamento, tendo estreado o primeiro espetáculo em 1953. Sob a direção artística de António Pedro (1953-1961), o TEP foi uma companhia precursora do teatro moderno em Portugal. Entre 1998 e o final de 2009, a companhia foi dirigida por Norberto Barroca, após o que Júlio Gago assumiu essa função. Em 2012, a direção artística foi assumida por Gonçalo Amorim, encenador residente desde 2010.
Conceção e Encenação Gonçalo Amorim, Pedro Gil, Raquel Castro e Rui Pina Coelho
Texto Rui Pina Coelho
Interpretação Gonçalo Amorim, Ana Brandão, Nuno Nunes
Música original ao vivo Pedro João e Ricardo Nogueira
Cenografia e figurinos Catarina Barros
Luz Francisco Tavares Teles
Apoio à sonoplastia Carlos Reis