Cláudia Dias / Sete Anos

Quarta-feira: O Tempo das Cerejas

Cláudia Dias / Sete Anos

© Bruno Simão

Ciclo Sete Anos Sete Peças

Novembro

16/11 qua 19:30

CAMPO ALEGREAuditório

espaço ⁄ futuro ⁄ matéria ⁄ construção ⁄ encontro
Preço 9€
Duração 50min
Classificação etária 6+
O cenário é um enorme buraco no meio de placas de gesso laminado, como se uma bola de ferro gigante tivesse caído ali. Ao construir o espaço cénico com o mesmo material usado em milhares de casas portuguesas, para se começar a desconstruir, Cláudia Dias e Igor Gandra fazem uma ligação direta a tudo o que é varrido para debaixo do tapete ocidental. Apesar de os bombardeamentos aéreos por parte de forças militares europeias se poderem, hoje em dia, ver facilmente na Internet ou na TV, a ligação entre os nossos lares e as crateras abertas por mísseis noutro lado do mundo não é tão visível assim. Este buraco negro alude a essa relação causal por esclarecer. Não se trata apenas de mostrar a responsabilidade das sociais-democracias europeias nos massacres que estão a ocorrer agora no resto do mundo. 


Cláudia Dias (Lisboa, 1972) formou-se em dança na Academia Almadense, na Companhia de Dança de Lisboa e no Forum Dança. Frequentou o mestrado em artes cénicas na Universidade Nova de Lisboa. Integrou o Grupo de Dança de Almada e o coletivo Ninho de Víboras. Colaborou com a RE.Al, tendo sido uma intérprete central na estratégia de criação de João Fiadeiro e no desenvolvimento, sistematização e transmissão da Técnica de Composição em Tempo Real. Leciona regularmente oficinas de Composição Coreográfica e de Composição em Tempo Real. Criou as peças One Woman Show, Visita Guiada, Das coisas nascem coisas, Vontade De Ter Vontade e Nem tudo o que dizemos tem de ser feito nem tudo o que fazemos tem de ser dito. Atualmente desenvolve o projeto Sete Anos Sete Peças.

Ciclo Sete Anos Sete Peças

Novembro

16/11 qua 19:30

CAMPO ALEGREAuditório

espaço ⁄ futuro ⁄ matéria ⁄ construção ⁄ encontro
Preço 9€
Duração 50min
Classificação etária 6+