Dia 9 — Bloco Noite

Hugo Carvalhais feat. Liudas Mockunas + Ricardo Formoso feat. Seamus Blake e Albert Bover

Dia 9 — Bloco Noite

© Festival Imaxinasons

Fevereiro

9 Dom 21.30h

RIVOLIGrande Auditório

Música
 
Hugo Carvalhais "Ascetica" feat. Liudas Mockunas (PT, LT)

Ao ascetismo está associada a ideia de despojamento. Foi aí que Hugo Carvalhais encontrou uma fonte de inspiração para a sua sonoridade translúcida, feita de clareza e silêncio para uma audição sem tempo. É o epílogo perfeito para a viagem que o músico tem empreendido ao longo dos últimos tempos, materializada nos álbuns “Nebulosa, Partícula e Grand Valis”. São registos com um fundo espacial, e até com algumas referências à ficção científica, dando o mote certo para as suas rotas sonoras. Agora, nesta etapa contemplativa, o contrabaixista reuniu um sexteto para o qual convidou um amigo de longa data: o saxofonista lituano Liudas Mockunas, nome imprescindível na nova música improvisada europeia. Uma excelente altura para a estreia de Hugo Carvalhais no Festival Porta-Jazz.

Ricardo Formoso "Implosão" feat. Seamus Blake e Albert Bover (ES, CA, AR, PT)

O compositor e trompetista espanhol Ricardo Formoso vem ao Festival Porta-Jazz apresentar o seu segundo projecto de originais. O título é “Implosão” e sucede o muito bem recebido “Origens”, editado com o Carimbo Porta-Jazz, trazendo para o palco um verdadeiro mosaico de talentos e geografias. Está-se a falar de um quinteto formado pelo próprio Ricardo Formoso (trompete e fliscorne), pelo canadiano Seamus Blake (saxofone tenor), pelo catalão Albert Bover (piano), pelo argentino Demian Cabaud (contrabaixo) e pelo português Marcos Cavaleiro (bateria). Uns escolheram Portugal para viver, outros estarão só de passagem, mas a verdade é que, entre si, formam uma bela amostra da história recente do jazz, com carreiras ligadas a figuras notáveis do meio, de várias gerações. Será um privilégio vê-los reunidos em palco para dar vida aos temas de Ricardo Formoso, autor que já ultrapassou a fase das promessas para se tornar uma certeza no panorama mundial.


Festival Porta-Jazz chega este ano à décima edição. A data convida a balanços e a revisões da matéria dada, começando pelo início da associação que lhe dá nome, na altura uma pequena comunidade local, até aos dias de hoje, em que se pode falar da afirmação de um movimento verdadeiramente internacional. Tem sido uma evolução rápida mas também orgânica, crescendo à velocidade das ligações com músicos de todo o mundo. Esta edição do Festival Porta-Jazz será espelho disso mesmo, mostrando nomes que aqui se apresentam pela primeira vez e outros que regressam com novos projetos, sabendo-se de antemão que este será, também, o ponto de partida para outras viagens musicais, de que só saberemos notícias num futuro mais ou menos próximo. Na base de tudo isto está, desde a génese, a promoção de música original e criativa na área do jazz. Criou-se no Porto um pólo único de músicos, uma comunidade sem fronteiras, sempre com a perspectiva de democratizar o acesso a esta música e alargar o seu público. Para isso, tem sido determinante o incentivo a parcerias e intercâmbios entre autores desta cidade com outros criadores nacionais e internacionais, gerando uma convergência artística muito especial. A celebração destes 10 anos vem tornar mais visível a actividade possante e ininterrupta de uma associação que realiza mais de uma centena de concertos anuais, dentro e fora de portas, já lançou mais de meia centena de discos e tornou sustentável uma comunidade artística, alimentando a cultura da cidade e do país. Hoje, o Festival Porta-Jazz é uma referência internacional pela reconhecida qualidade dos projectos que apoia e um ponto de passagem essencial para músicos em trânsito, de renome internacional, assim como uma referência criativa para muitas instituições internacionais. Acreditamos ter criado um movimento crucial para definir o que é o jazz de hoje em Portugal. Conte-se, por isso, com três dias intensos de música no Rivoli, com parcerias entre projectos do Porto e músicos nacionais e internacionais, mostrando novas criações e encomendas, bem como apresentações de discos, residências, jam sessions, encontros de escolas de jazz, oficinas e muito mais. Entre 7 e 9 de Fevereiro todos os caminhos da música vão ter ao Festival Porta-Jazz.  

Fevereiro

9 Dom 21.30h

RIVOLIGrande Auditório

Música
 
  • Hugo Carvalhais "Ascetica" feat. Liudas Mockunas
    Hugo Carvalhais (contrabaixo)
    Liudas Mockunas (sax soprano, sax tenor, clarinete)
    Fábio Almeida (sax tenor)
    Gabriel Neves (sax tenor)
    Ricardo Moreira (órgão hammond) 
    João Martins (bateria) 
  • Ricardo Formoso "Implosão" feat. Seamus Blake e Albert Bover
    Ricardo Formoso (trompete, fliscorne e composição)
    Seamus Blake (saxofone tenor) 
    Albert Bover (piano)
    Demian Cabaud (contrabaixo) 
    Marcos Cavaleiro (bateria)