Uta Gebert - © DR

© DR

FIMP 2019

12 Sáb 21.00h

RIVOLI Palco do Grande Auditório

7.00€ • ≈55min • >12

Uta Gebert

Solace

Marionetas
Alemanha
Estreia nacional
Uta Gebert - © DR

© DR

 
“Solace” significa consolo e encorajamento. Uma ação gentil, mas ainda assim poderosa, que pretende colocar o ser humano no centro das atenções e restaurar a sua alegria de viver. O autor sueco Stig Dagerman escreveu numa das suas últimas obras: “A nossa necessidade de consolo é insaciável”. O desafio é: como aliviar a dor para viver? Como lidar com o sofrimento? Neste novo trabalho, Uta Gebert explora a capacidade humana de sobreviver a catástrofes, guerras, exílio e traumas diários. Defende uma alma que não é inconsolável, mas catártica. Encara a esperança como um ato de resistência. Longe de um ponto de vista teórico ou intelectual, estuda a estreita conexão psicossomática que transforma as feridas da alma em deficiências do corpo e tenta, pouco a pouco, traçar um caminho para a cura e a salvação. Uta Gebert transforma o palco numa jaula de memórias, onde o passado e o presente se confrontam. No choque de contrastes, narra a história dialética de uma luta. Uma luta que liga o que separa a razão: a vida e a morte, a realidade e a fantasia, o amor e a indiferença, a raiva e a melancolia.

Uta Gebert trabalha como marionetista desde 1996. Depois de se formar na Academia de Artes Dramáticas “Ernst Busch” em Berlim, em 1994, no departamento de marionetas contemporâneas, estudou durante dois anos na École Supérieure Nationale des Arts de la Marionnettes, em Paris. Tornou-se conhecida internacionalmente com as suas produções “Cocon”, “Anubis”, “Limen” e “Manto”. Desde 2015, atua como marionetista e atriz na produção “The Ventriloquists Convention”, de Gisèle Vienne, apresentado no TMP no contexto do FIMP. Em 2015, Uta Gebert foi agraciada com um prémio do Institut International de la Marionette, Charleville-Mézières para “Criação/Experimentação”.
Encenadora Uta Gebert
Conceção, cenário, marionetas Uta Gebert
Interpretação Uta Gebert, Marine Chesnais, Laura Siegmund
Música Hahn Rowe
Desenho de luz Jérôme Houlès, Uta Gebert
Consultoria dramatúrgica Meriam Bousselmi, Geeske Otten, Ruth Mariën
Figurinos Sonia Albartus
Participação artística Gabriel Hermand-Priquet, Ursula Gebert
Assistente de Produção e Comunicação Sophie Galibert
Apoio artístico Kathrin Rachow, Silvia Brendenal
Luz e som (em tour) Jérôme Houlès, Paul Friedrich
Produção Numen Company
Com o apoio de Mouffetard - Théâtre des arts de la marionnette ParisCentre de la Marionnette de la Fédération Wallonie-
Bruxelles in Tournai
Apoio à deslocação Goethe Institut Portugal
Coprodução Festival Mondial des Théâtres de Marionnettes Charleville-Mézières, TJP - Centre dramatique national Alsace, Figurteatret i Nordland, Le Manège - Scène Nationale of Reims, Espace Jéliote, Scène conventionnée arts de la marionnette / Communauté de communes du Piémont Oloronais, Le théâtre des 4 Saisons, Scène conventionnée musique(s) / Ville de Gradignan, Schaubude Berlin, T-Werk Potsdam, The Fonds Transfabrik

FIMP 2019

Festival Internacional de Marionetas do Porto

No FIMP, os objetos, as marionetas e a matéria animada assumem o papel central. Ao fazê-lo, é como se colocassem os humanos - habituais protagonistas das artes performativas - num outro lugar. Não é exatamente fora de cena que passamos a estar, é apenas um pouco mais na penumbra. Alguns humanos encontram nessa sombra momentânea o lugar para se pensarem... e fazê-lo na companhia de marionetas, objetos e formas animadas pode ser bastante divertido. Nesta edição, o FIMP traz nesta sua parceria com o Teatro Municipal um conjunto de propostas muito diversas que propõe uma exploração de questões que se prendem com o modo como nos inscrevemos no mundo, particularmente no mundo das coisas. Grandes temas existenciais, com as suas implicações sociais, políticas, ecológicas, são aqui abordados com a autenticidade de que só um objeto ou um corpo inventado são capazes. Entre dispositivos cénicos experimentais, a procura de novas formas populares e a revisitação virtuosa de algumas técnicas de manipulação, estes artistas lançam mão a tudo o que possa servir para reanimar estas inquietações, afinal tão humanas. 

IGOR GANDRA
Diretor Artístico
 
Toda a programação em fimp.pt