Pisar o Risco

Criatório, Campo de Batalha & Mostra Estufa

O que têm em comum dois performers à procura de uma nova língua, dois artistas visuais a ensaiar um caminho para o sagrado e duas coreógrafas a traduzir uma publicação que não se leva para casa? E uma realizadora que decide mostrar o seu filme em fase de montagem? Que tem, ainda, tudo isto a ver com um percurso de projetos de circo contemporâneo? Aparentemente, nada em comum. É tentadora a vontade de categorizar, classificar, arrumar as narrativas, buscando uma ordem mínima. É a natureza do pensamento, sabemo-lo, concretizar esse sentido lógico, disciplinar, disciplinando-o. Mas é força do contemporâneo aceitá-lo indomável. De um modo ou de outro, todos estes trabalhos trazem uma certa indisciplina. Questionam, experimentam, fraturam aquilo que é do âmbito da dança, do teatro, da poesia, do cinema, do circo, arriscando a singularidade das suas ideias enquanto jovens artistas do seu tempo. Trocam-nos as voltas e até podem errar, mas obrigam-nos a um reposicionamento no jogo. Cair num hibridismo mais cómodo parece ser o caminho menos percorrido. “Pisar o Risco” são quatro dias que fazem coincidir espetáculos-laboratoriais resultado dos programas Criatório, Campo de Batalha e Mostra Estufa. O Rivoli e o Campo Alegre asseguram o ecossistema para que, numa ousadia delicada, eles possam equilibrar-se nesse risco.


Bilhete individual espetáculos Campo Batalha e Criatório 2.50€
Bilhete conjunto Pisar o Risco (Campo de Batalha + Criatório, excepto performance de Clara Amaral) 7.00€
Bilhete Mostra Estufa 7.50€