Mostra Estufa 2019 -

Pisar o Risco

2019

Novembro

22 Sex 19.00h 23 Sáb 21.00h

CAMPO ALEGRE

7.00€ • 1.00h com 2 intervalos • >12

Mostra Estufa 2019

Erva Daninha

Circo Contemporâneo
 
A Mostra Estufa surge de uma vontade conjunta da Erva Daninha e do Teatro Municipal do Porto em dar espaço a novas linguagens, estéticas e dramaturgias do circo contemporâneo. Um espaço laboratório para que novos criadores ou propostas emergentes possam surgir contribuindo para o desenvolvimento desta área, sobretudo a nível nacional. Tal como uma Estufa, pretende proporcionar as condições ideais para incubar a investigação de formas, conteúdos e experimentação técnica. A edição de 2019 conta com três propostas que refletem uma busca por aproximar o circo contemporâneo aos discursos cénicos modernos. A técnica fica ao serviço de um conceito, um pensamento, uma ideia. Uma vontade de dizer algo mais e de questionar o lugar das técnicas de circo numa dramaturgia contemporânea. Três momentos em três espaços diferentes, um percurso que passa pelo Café Teatro, Sala Estúdio e Auditório do Teatro Campo Alegre. 

PROGRAMA

Alexandre Duarte
The Newspaper Man

“Uma entidade criada pelo excesso de informação que processamos diariamente. Uma projeção de todas as opiniões subjetivas, das histórias não contadas, dos conteúdos reais e irreais, do consumo, das letras esvoaçantes que falam muito, mas pouco dizem. Ele é o criador, mas também o destruidor; o infiel com fé, o dependurado num mundo ao contrário; o mapa perdido que não possui destino; a realidade dentro da ilusão. O Newspaper Man não escolhe lados, ele sabe que a janela para o mundo pode ser coberta por um jornal.”


Blue Coffee
Gregor

A minha casa é onde estou. Malabarismo e acrobacia são as técnicas-base que representam o circo nesta proposta artística, acompanhada de linguagem física, o estudo do objeto e do teatro físico, as mãos falam numa pesquisa visual expressiva e figurativa… ultrapassam os limites da racionalidade e funcionalidade através da relação com a matéria. Equilíbrio nas mãos, torções e contorções, manipulação de objetos, trabalhar as emoções e o imaginário… dois personagens cómodos em seu habitat ideal, empurrando, puxando e seguindo-se um ao outro… dois passageiros, dois espaços, um de pura observação o outro campo de ação uma investigação da matéria extrema.

Deeogo Oliveira
Ninguém

“Quero sentir que importo.” Esta é a indicação do meu produto. Somos todos produtos, caracterizados pelo uso prático, rápido e indiscriminado sendo facilmente descartáveis e substituídos por outros. Vivemos esta época onde a pesquisa e o acumular de informação tomaram conta da uma ideia de humanização. “Ninguém” é a história de uma pessoa que procura criar um mecanismo para amplificar o mundo, no fundo, apenas para ser lembrado. O esquecimento como forma de demência e a banalidade estão presentes nesta vida aparentemente sem importância. Num mundo onde todos tentamos ser diferentes, qual o sentido da banalidade?


Mais informação www.ervadaninha.pt
Mostra Estufa
Programação Julieta Guimarães, Vasco Gomes
Produção Adelaide Osório
Vídeo Ashleigh Georgiou
Coprodução Teatro Municipal do Porto 
 
The Newspaper Man
Criação e interpretação Alexandre Duarte
Sonoplastia Monica Olivieri e Riccardo Padovan
Colaboração Companhia Erva Daninha; Circus Factory Cork; Fondazione Cirko Vertigo; Kathleen Dohert

Gregor
Intérpretes criadores Jorge Lix e Jonathan Frau
Cenografia Arnold Van-Rossum
Sonoplastia Jorge Lix
Design gráfico/fotografia/vídeo Ashleigh Georgiou
Produção Blue Coffee

Ninguém
Criação e Interpretação Deeogo Oliveira
Apoio Dramatúrgico/Texto Nuno Preto
Audiovisuais Ivo Ribeiro

Pisar o Risco

Criatório, Campo de Batalha & Mostra Estufa

O que têm em comum dois performers à procura de uma nova língua, dois artistas visuais a ensaiar um caminho para o sagrado e duas coreógrafas a traduzir uma publicação que não se leva para casa? E uma realizadora que decide mostrar o seu filme em fase de montagem? Que tem, ainda, tudo isto a ver com um percurso de projetos de circo contemporâneo? Aparentemente, nada em comum. É tentadora a vontade de categorizar, classificar, arrumar as narrativas, buscando uma ordem mínima. É a natureza do pensamento, sabemo-lo, concretizar esse sentido lógico, disciplinar, disciplinando-o. Mas é força do contemporâneo aceitá-lo indomável. De um modo ou de outro, todos estes trabalhos trazem uma certa indisciplina. Questionam, experimentam, fraturam aquilo que é do âmbito da dança, do teatro, da poesia, do cinema, do circo, arriscando a singularidade das suas ideias enquanto jovens artistas do seu tempo. Trocam-nos as voltas e até podem errar, mas obrigam-nos a um reposicionamento no jogo. Cair num hibridismo mais cómodo parece ser o caminho menos percorrido. “Pisar o Risco” são quatro dias que fazem coincidir espetáculos-laboratoriais resultado dos programas Criatório, Campo de Batalha e Mostra Estufa. O Rivoli e o Campo Alegre asseguram o ecossistema para que, numa ousadia delicada, eles possam equilibrar-se nesse risco.


Bilhete individual espetáculos Campo Batalha e Criatório 2.50€
Bilhete conjunto Pisar o Risco (Campo de Batalha + Criatório, excepto performance de Clara Amaral) 7.00€
Bilhete Mostra Estufa 7.50€