Dezembro2021

Qui16

TMP revela programação da segunda metade da temporada de 2021/2022

90º Aniversário Teatro Rivoli, homenagem a Raimund Hoghe e um foco dedicado a Phia Ménard são alguns dos destaques

TMP revela programação da segunda metade da temporada de 2021/2022

© Alice Brazzit

Um dos principais momentos é a comemoração, em janeiro, do 90º Aniversário do Teatro Rivoli. Entre abril e maio, Porto, Gaia e Matosinhos acolhem uma vez mais o DDD – Festival Dias da Dança. Até julho é possível assistir às criações de artistas e coletivos, como Phia Ménard, Marco Martins, Marcelo Evelin, Nuno Lucas ou mala voadora. A programação do Teatro Municipal do Porto presta ainda homenagem ao coreógrafo alemão Raimund Hoghe.

O grande destaque do arranque da programação da segunda metade da Temporada 2021/2022 do Teatro Municipal do Porto (TMP) é o aniversário do Teatro Rivoli. São 90 anos a fazer parte da vida cultural e social da cidade do Porto. Entre os dias 18 e 23 de janeiro, o TMP promove um programa especial composto por criações de artistas da cidade, que irá decorrer no Rivoli e no Campo Alegre. Uma das novidades é que os festejos deste ano se vão estender aos espaços dos vários parceiros culturais (e vizinhos do Rivoli), nomeadamente Coliseu Porto Ageas, Palácio do Bolhão, Maus Hábitos e Passos Manuel. A programação completa será revelada no início do próximo ano.
Ainda em janeiro, e também no Rivoli, será possível assistir a 12 Efeitos de Luz (12 a 23 de janeiro), a mais recente criação da companhia de Teatro da Palmilha Dentada, que contou com o contributo dos músicos Manel Cruz, Elísio Donas, Kinorm, Peixe e Nuno Prata. De 14 a 16 de janeiro, o palco do Grande Auditório acolhe mais uma incursão da Companhia Nacional de Bailado (CNB) à cidade, desta vez com o programa Noite Branca, composto por três obras: Concerto Barocco, Shostakovich Pas de Deux e Snow. O momento assinala a primeira coreografia para a CNB de Luís Marrafa, o regresso à companhia do professor e coreógrafo francês Yannick Boquin, e a revisitação de uma das mais emblemáticas obras de George Balanchine, Concerto Barocco, 37 anos depois da sua estreia na CNB, em 1984.

TMP dedica foco de programação a Phia Ménard

Depois de vários reagendamentos devido ao contexto de pandemia, o público do TMP vai finalmente poder encontrar-se, em fevereiro, com a artista francesa pluridisciplinar Phia Ménard. Entre os dias 18 e 26 de fevereiro, decorre um foco de programação dedicado à fundadora da companhia Non Nova, que inclui a apresentação, em estreia nacional, dos espetáculos Saison Sèche (18 e 19 de fevereiro, Rivoli), L’Après-midi d’un foehn - Versão 1 (proposta para escolas, dia 23 de fevereiro, Campo Alegre) e a primeira parte da trilogia Contes immoraux – Maison mére (25 e 26 de fevereiro, Rivoli).
Este programa, que marca o início da “Temporada Cruzada” entre Portugal e França, para a qual o Governo Francês escolheu o TMP como um dos principais interlocutores portugueses deste intercâmbio, conta ainda com a exibição de filmes e realização de várias atividades complementares, como oficinas, conversas ou debates, tendo sempre como foco o trabalho de Phia Ménard.
Também em fevereiro, realiza-se o segundo momento de Retratos — programa lançado no início da presente temporada que procura juntar nas mesmas datas, em sessões distintas, dois artistas com projetos a partir do conceito de autorretrato. Retratos II (4 e 5 de fevereiro no Campo Alegre, e dia 9, no TMP Online) conta com a apresentação de SOLO, de Teresa Coutinho, e Triste in English from Spanish, de Sónia Baptista.
Nos dias 10, 11 e 12 de fevereiro, o Rivoli acolhe a estreia de Descanso na tua voz, de Diana Sá / Cão Danado, uma peça de teatro que, através do dispositivo cénico, procura “conseguir devolver ao público em geral a vontade e responsabilidade da apropriação de um objeto artístico que, em última instância, só existe porque o público o faz existir.”

Dois dias dedicados à obra de Raimund Hoghe

Em março, o TMP homenageia o coreógrafo alemão Raimund Hoghe, que faleceu a 14 de maio de 2021. Contando com a parceria de mais quatro teatros europeus, será apresentado An Evening with Raimund. O espetáculo é composto por fragmentos de peças coreográficas de 2002 a 2018, reunidos por Emmanuel Eggermont e Luca Giacomo Schulte, que trará ao Porto alguns intérpretes já conhecidos do público do TMP, como Takashi Ueno, Ornella Balestra ou Ji Hye Chung. A peça pode ser vista, em estreia nacional, nos dias 12 e 13 de março, no Teatro Rivoli.
O programa conta ainda com a exibição do filme La jeunesse est dans la tête (13 de março), assim como um conjunto de atividades que complementam esta homenagem ao coreógrafo alemão. Recorde-se que Raimund Hoghe é considerado um dos mais relevantes nomes da dança contemporânea, tendo trabalhado durante uma década (1980-1990) como dramaturgo para o Tanztheater Wuppertal, de Pina Bausch. No âmbito das programações do Teatro Municipal do Porto e do DDD – Festival Dias da Dança, apresentou no Porto os espetáculos Canzone per Ornella (2021), Postcards from Vietnam (2021), Evening with Judy (2015), Quartet (2015), Songs for Takashi (2016), La Valse (2018) e Momentos of Young People (2018).
Ao longo do mês de março, o TMP acolhe também a estreia de Cornucópia (4 e 5 de março, Rivoli), da companhia de teatro mala voadora, espetáculo que está inserido no programa da “Temporada França-Portugal 2022” e será posteriormente apresentado no Teatro Nacional D. Maria II (17 a 20 de março) e no Centre Pompidou, em Paris (25 a 26 de março). Outra das estreias é OCD Love (18, 19 e 23 de março, Rivoli e no TMP Online), dos israelitas Sharon Eyal e Gai Behar / L-E-V — peça que foi reagendada da temporada anterior para a atual. A terminar o mês, de 24 a 26 de março, o Teatro Campo Alegre recebe a quarta edição do segmento de programação do TMP dedicado a “discursos indisciplinados”. Double Trouble #4 conta com as criações dos artistas Julian Hetzel, Xana Novais e da dupla Mafalda Banquart e Emanuel Santos.

Voguing chega ao DDD – Festival Dias da Dança

De 19 de abril a 1 de maio de 2022, o DDD – Festival Dias da Dança regressa aos palcos do TMP e a outros espaços culturais das cidades do Porto, Matosinhos e Gaia. Do vasto programa de espetáculos assinados por coreógrafos nacionais e internacionais destaca-se, em abertura, Pantera, da dupla Clara Andermatt e João Lucas, uma criação a partir da vida e obra do músico cabo-verdiano Orlando Barreto. O espetáculo conta, entre outros, com a participação da cantora Mayra Andrade.
De volta ao festival estão a coreógrafa americana Meg Stuart, com o seu último espetáculo CASCADE, que conta com uma estonteante cenografia de Philippe Quesne, e o francês Boris Charmatz, recentemente escolhido para a direção artística do Tanztheater Wuppertal Pina Bausch, que apresentará o seu mais recente solo Somnole. Ambos os espetáculos são estreias nacionais.
Martim Pedroso apresentará também a sua próxima criação, 5, 6, 7, 8 and One, protagonizada por Marlyn Ortiz, bailarina e coreógrafa cujo percurso inclui colaborações com ídolos Pop como Madonna e Britney Spears e inúmeras incursões no género burlesco.
O DDD acolherá ainda, a 30 de abril, um grande ballroom – vogue, organizado por Nala Revlon e Piny 007. Dedicado ao tema Divindades e com 20 categorias em competição, o ball colocará o Porto no roteiro internacional da fervilhante cultura do voguing. A programação completa do festival será anunciada em março.
Após o DDD, segue-se o FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, que apresentará a sua 45ª edição entre os dias 10 e 22 de maio.

Criações de Marcelo Evelin, Jonathan Uliel Saldanha e Alessandro Sciarroni

Depois de se estrear em março, na Culturgest, em Lisboa, o mais recente espetáculo de Marco Martins, Selvagem, é apresentado nos dias 1 e 2 abril, no Campo Alegre, no Porto, propondo “uma reflexão sobre o uso da máscara em práticas ritualísticas”.
Um dos regressos mais aguardados desta temporada é o de Marcelo Evelin, que apresenta Povo da Mata (título provisório da nova criação), nos dias 3 e 4 de junho, no Campo Alegre. Considerado um dos mais importantes nomes das artes performativas brasileiras, Evelin já passou pelos vários palcos do TMP com De Repente Fica Tudo Preto de Gente (2014), Matadouro (2015), Dança Doente (2017) e A Invenção da Maldade (DDD – Festival Dias da Dança, 2019). Também em junho, Jonathan Uliel Saldanha volta ao Rivoli para apresentar Lago Libidinal, o último projeto como Artista Associado do TMP para as temporadas 2020/2021 e 2021/2022.
Em julho, e a fechar a temporada, o TMP apresenta os espetáculos Augusto (2 de julho, Rivoli), de Alessandro Sciarroni — coreógrafo italiano que venceu o Leão de Ouro na Bienal da Dança de Veneza em 2019 —, e Falaise (8 e 9 de julho, Rivoli), uma criação de Baro D’Evel, companhia franco-catalã de circo e artes performativas dirigida por Camille Decourtye e Blaï Mateu Trias. Ambas as peças transitaram da anterior para a presente temporada e serão apresentadas em estreia nacional.

Todas as informações em www.teatromunicipaldoporto.pt.