Camilla Morello

Urna

Camilla Morello

© Camilla Morello, Paolo Taccardo, Patrick Clark

Fevereiro

7 Sex 21.00h

CAMPO ALEGRESala-Estúdio

Dança
Palcos Instáveis / Em coprodução com Companhia Instável
7.00€ • 1.10h • >12
Urna é um solo que reflete sobre a relação entre o ser humano e a sua identidade social, sobre a sobrevalorização da consciência e sobre o corpo como produto objetificado. A inspiração veio do poema do Giulio Morello Multa per inane videbis corpora, título que cita o De rerum natura, convite a tomar consciência do estado do humano: “Imaginemos um indivíduo em movimento / que em cada passo extraia duma urna / a instrução para o passo seguinte: / direita esquerda frente atrás. // Imaginemos que milhões de indivíduos / movem-se da mesma forma, ora: / o que é que nos distingue dos corpúsculos de gás? / Talvez a ilusão de governar o destino?” Como é que se desconstrói o indivíduo informado cultural e socialmente, depois de entrar no loop das suas próprias cegas convicções? Urna é a oportunidade não aproveitada, perdida para sempre num não-tempo longínquo. É a perda de perguntas significativas e a obsessão por respostas tranquilizadoras e efémeras. Urna é o que sobra depois da curiosidade, que se torna opressão, que cede lugar ao cacófonico redundante, que por sua vez cede o lugar ao absurdo, que cede o lugar ao vazio, que cede o lugar a novas possibilidades, que geram outras curiosidades. E assim por diante para sempre. O que sobra é um loop; movimentos, palavras, símbolos esvaziados de significado, repetem-se até ao ridículo para podermos refletir acerca da urgência de reduzir (ou elevar?) o ser humano à besta rendida.


Camilla Morello formou-se como atriz na Scuola Nazionale di Cinema em Roma. Licenciou-se em Antropologia na Universidade La Sapienza de Roma. Em Paris, estudou com Jean-Paul Denizon e na Universidade Paris 8. Em Portugal frequentou os workshops do João Fiadeiro, Francisco Camacho, Vera Mantero, Thomas Hauert, Miguel Pereira, Sergi Fäustino entre outros, e o curso bienal de dança-teatro da Olga Roriz. Trabalhou com Miguel Moreira, Tamara Cubas, Miguel Pereira, Catarina Câmara, Lucía Nacht e Maurícia Neves. Criou "Uma peça dançada - abordagem semi-séria do vazio", “Common Land”, “Urna”. Seu o trabalho fotográfico “Enclosures” e o trabalho de vídeo-arte “Dissonances”. Cocriou “Documenting Questions”, a convite do Festival Cumplicidades.

Fevereiro

7 Sex 21.00h

CAMPO ALEGRESala-Estúdio

Dança
Palcos Instáveis / Em coprodução com Companhia Instável
7.00€ • 1.10h • >12
  • Criação e interpretação
    Camilla Morello
    Assistência à dramaturgia
    Sofia Freitas Abreu
    Cenografia, adereços e figurino
    Camilla Morello
    Construção, adereços e cenografia
    Franco Bosco, Camilla Morello, Anabela da Costa Moreira
    Textos
    Camilla Morello
    Aconselhamento artístico
    Francisco Camacho
    Desenho de luz
    Feliciano Branco
    Sonoplastia
    Flávio Rodrigues
    Registo vídeo
    Fábio Coelho
  • Apoios e residências
    Fundação GDA, Estúdios Victor Córdon, Linha de Fuga, Companhia Instável, Companhia Olga Roriz, Atelier Real, EIRA, Berma, (Re)union
    Coprodução
    Companhia Instável e Teatro Municipal do Porto
    Agradecimentos
    Alexandre Valinho Gigas, Catarina Câmara, Mickaël de Oliveira, Paolo Taccardo, Gianmaria Fioriti, Co-dance
    Teasers
    Captação de imagem, Ana-Maria Basto / Assistência, Sebastião Duarte Almeida
    Imagens
    Joaquim Leal, José Crúzio, Sinem Tas
    Fotografia para divulgação
    Camilla Morello, Paolo Taccardo, Patrick Clark
    A Companhia Instável é apoiada pela República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes e pelo programa "Bolsas para a formação GDA"