Saltar para conteudo

Sinopse

com sessões escolares

Daniela Cruz

ocelo

Novembro

2024

estreia

Qui
7
Sáb
9

Sinopse

ocelo é uma criação sensorial e multidisciplinar, que parte da necessidade de olhar de forma positiva para o contexto em que vivemos, pela vontade de criar sobre o belo. É um espetáculo integralmente original, que não parte de uma narrativa existente e linear, e que faz da imagem, do som, do movimento, e da dramaturgia, as principais matérias de criação, existindo em conjunto, afastando a ideia de disciplinas que se manifestam de forma individual. Parte da vontade de explorar o belo como o lugar onde a realidade e a nossa imaginação se encontram, o belo como uma sensação de espanto, de UAU. — Daniela Cruz

“Pensam talvez que de qualquer maneira a beleza é muito relativa, que cada um tem a sua definição de beleza — vocês acham isto belo, mas um outro não ou então vocês acham isto belo num dia, mas não no seguinte.” — Jean-Luc Nancy

encantamento

beleza

espanto

Fotografia a cores saturada de um pavão.

© DR

Info sobre horário e bilhetes

Qui

7.11

10:30

14:30

Sex

8.11

10:30

Sáb

9.11

Campo AlegreCafé-Teatro

bilhetes

Informação adicional

  • Preço 
    2.50€
  • Duração 
    40min
  • Classificação etária 
    A classificar pela CCE

Acessibilidades do espetáculo

Acessível a pessoas em cadeira de rodas
Texto

Texto biografia autores

Daniela Cruz é criadora, bailarina e formadora em dança contemporânea. Completou o curso vocacional na Escola de Dança Ginasiano. Estudou na Codarts, em Roterdão, e estagiou na Companhia Dansgroep Krisztina de Châtel, em Amesterdão. Trabalha como freelancer e já colaborou como intérprete com Marco da Silva Ferreira, Victor Hugo Pontes, Cristina Planas Leitão, André Braga e Cláudia Figueiredo/Circolando, Joana Providência, Madalena Victorino, Nuno M Cardoso, Nuno Preto, Jonathan Saldanha, Catarina Miranda, Sofia Dias e Vítor Roriz. Fez assistência de coreografia e de ensaio, na Companhia Instável. Foi coordenadora artística dos cursos FAÍCC e FOCAR, da Companhia Instável. Fez direção de movimento para o Teatro Art'Imagem e para o Teatro Bolhão. Criou para a companhia K2, o CITAC, a Kale Companhia de Dança, pela Companhia Instável para a Casa da Arquitectura, e para a Companhia Presente, Viseu. Cocriou, com o Nuno Preto diversos projetos dirigidos a públicos jovens. Integra vários projetos com comunidade, como codirectora artística, no âmbito do Aldear e Odisseias, dirigido por Luís Sousa Ferreira. A sua última criação, dalila, foi coproduzida pelo Teatro Municipal do Porto.

Ficha técnica

  • Criação
    Daniela Cruz

    Interpretação
    Ángela Diaz Quintela, Carina Albuquerque, Daniela Cruz

    Imagem
    Ártemis Provou

    Sonoplastia
    Samuel Martins Coelho

  • Dramaturgia e textos
    Nuno Preto

    Desenho de luz
    Cárin Geada

    Figurinos e espaço cénico
    Pedro Azevedo

Subscrevam a nossa newsletter e recebam todas as novidades sobre o TMP.

close