Jaha Koo / CAMPO

Cuckoo

Jaha Koo / CAMPO

© Radovan Dranga

FIMP 2022

Outubro

13/10 qui 19:30
14/10 sex 19:30

RIVOLIPalco do Grande Auditório

teatro ⁄ política ⁄ crise ⁄ felicidade
Estreia nacional
Preço 7€
Duração 1h
Classificação etária 16+
Um dia, quando a sua panela elétrica de cozer arroz o informou que a sua refeição estava pronta, Jaha Koo experimentou uma profunda sensação de isolamento. Golibmuwon é a palavra coreana intraduzível que expressa o sentimento de isolamento e impotência que caracteriza a vida de muitos jovens na atual Coreia do Sul. Há cerca de vinte anos, houve uma grande crise económica na Coreia do Sul, comparável ao crash financeiro nos Estados Unidos e no sul da Europa em 2008. Esta crise teve um enorme impacto na geração jovem à qual pertence o artista sul-coreano Jaha Koo. Num diálogo agridoce e bem-humorado, Jaha e as suas inteligentes panelas de arroz levam-nos numa jornada pelos últimos 20 anos da história coreana, combinando experiências pessoais com eventos políticos e reflexões sobre felicidade, crises económicas e a morte.


Jaha Koo (1984) é um criador de teatro/performance e compositor musical sul-coreano. A sua prática artística oscila entre a multimédia e a performance, incluindo música, vídeo, texto e instalação. As suas performances estão intimamente entrelaçadas com a política, a história e as suas interrogações pessoais. Desde 2014 que Koo trabalha na trilogia Hamartia. Esta trilogia concentra-se na temática do passado e em como este inevitavelmente afeta as nossas vidas de forma trágica. A primeira parte da trilogia, Lolling and Rolling, foi apresentada pela primeira vez pelo Zürcher Theatre Spektakel em 2015. A segunda peça, Cuckoo, estreou no Steirischer Herbst Festival em 2017. O projeto mais recente de Koo, A História do Teatro Ocidental Coreano, completa esta obra.

FIMP 2022

Outubro

13/10 qui 19:30
14/10 sex 19:30

RIVOLIPalco do Grande Auditório

teatro ⁄ política ⁄ crise ⁄ felicidade
Estreia nacional
Preço 7€
Duração 1h
Classificação etária 16+
Criação, direção, texto, música e vídeo Jaha Koo
Interpretação Hana, Duri, Seri & Jaha Koo
Cuckoo–hacking Idella Craddock
Cenografia e operação de media Eunkyung Jeong
Apoio à dramaturgia Dries Douibi
Equipa técnica Korneel Coessens, Jan Berkmans, Bart Huybrechts (& Wim Clapdorp)
Produção Kunstenwerkplaats Pianofabriek
Produtor executivo CAMPO
Com o apoio de CAMPO, STUK, BUDA, DAS, SFAC & Noorderzon/Grand Theatre, Vlaamse Gemeenschapscommissie
Coprodução Bâtard Festival