Miguel Castro Caldas, Pedro Gil e Raquel Castro

Terreno Selvagem 2

Miguel Castro Caldas, Pedro Gil e Raquel Castro

© Estelle Valente / Teatro São Luiz

Dezembro

9/12 sex 19:30
10/12 sáb 19:30

RIVOLIPalco do Grande Auditório

futuro ⁄ teatro ⁄ família ⁄ casa ⁄ ternura
Interpretação em Língua Gestual Portuguesa
Preço 9€
Duração 1h15
Classificação etária 12+
Terreno Selvagem 2 é um díptico inspirado nos primeiros 10 anos de Pedro Gil e Raquel Castro, enquanto pai e mãe de uma filha. Juntamente com Miguel Castro Caldas, inventaram uma personagem filha, uma personagem pai e uma personagem mãe. Na primeira parte (2016), a filha com 5 anos brincava com os pais às encomendas e, em todas, a filha perdia os seus progenitores e ia parar a uma casa onde vivia um casal que a adotava. Certo dia, enquanto dormia, a discussão do pai e da mãe entrou pelos ouvidos da filha e sonhou que os pais tinham problemas económicos e que a iam abandonar para cortar nas despesas. No sonho, a filha era adotada por um casal que a educava e amava exatamente da mesma forma que o pai e a mãe a educavam e amavam na realidade. O tempo foi passando e o Terreno Selvagem continua. — Miguel Castro Caldas, Pedro Gil e Raquel Castro


Miguel Castro Caldas escreve e coloca em cena peças de teatro. Fez dramaturgia de espetáculos, traduz ocasionalmente e dá aulas de teatro, literatura e artes marciais. Ganhou uma Menção Honrosa em 2005 pela atividade de dramaturgo pela Associação de Críticos de Teatro e o prémio SPA 2017 para o melhor Texto Português representado com Se Eu Vivesse Tu Morrias. Alguns dos seus textos estão traduzidos em cantonês, espanhol, francês, húngaro, inglês e italiano.

Pedro Gil faz teatro desde 1999. Interpreta, escreve, encena, investiga e produz. Enquanto encenador destacam-se os espetáculos Don Juan Esfaqueado na Avenida da Liberdade e O Inesquecível Professor. É codirector artístico da companhia Razões Pessoais.

Raquel Castro é licenciada em Teatro na ESTC (2008). Licenciada em Enfermagem (2004). Como intérprete trabalhou em teatro com Pedro Gil, Gonçalo Amorim, Madalena Victorino, Giacomo Scalisi, Ricardo Gageiro, Mickael Oliveira, Nuno M Cardoso, Mónica Calle, Rui Pina Coelho, Tónan Quito e Tiago Rodrigues. Desde 2013 que produz e cria espetáculos, sendo os seus mais recentes trabalhos OLHAR DE MILHÕES (2017), Turma de 95 (2019) e A MORTE DE RAQUEL (2020). É codirectora artística da companhia Razões Pessoais.

Dezembro

9/12 sex 19:30
10/12 sáb 19:30

RIVOLIPalco do Grande Auditório

futuro ⁄ teatro ⁄ família ⁄ casa ⁄ ternura
Interpretação em Língua Gestual Portuguesa
Preço 9€
Duração 1h15
Classificação etária 12+
Criação e dramaturgia Miguel Castro Caldas, Pedro Gil, Raquel Castro
Texto Miguel Castro Caldas
Interpretação Pedro Gil, Raquel Castro
Cenografia e figurinos Rita Lopes Alves
Construção de cenário Manuel Lobão
Assistente de cenografia Joana Sousa
Direção técnica Tiago Coelho
Luz Daniel Worm
Som Pedro Costa
Registo vídeo João Gambino
Direção de produção Mariana Venes
Assistência de produção e comunicação Bernardo Carreiras
Assistência de encenação (estagiária)
 Marta Guimarães
Coprodução Teatro Municipal do Porto, Razões Pessoais, São Luiz Teatro Municipal
Residência de coprodução Espaço do Tempo
Interpretação em Língua Gestual Portuguesa Cláudia Braga
  • © Estelle Valente / Teatro São Luiz

    © Estelle Valente / Teatro São Luiz

  • © Estelle Valente / Teatro São Luiz

    © Estelle Valente / Teatro São Luiz

  • © Estelle Valente / Teatro São Luiz

    © Estelle Valente / Teatro São Luiz

  • © Estelle Valente / Teatro São Luiz

    © Estelle Valente / Teatro São Luiz