Olhares da Terra

Jürgen Bock

Olhares da Terra

© Romy Castro

Espetáculos

1018.30hTer

RIVOLIPequeno Auditório

Conferências
Em parceria com Universidade Lusófona do Porto
Preço Entrada gratuita (mediante levantamento de bilhete) 
Com a saída de Gagarin para o espaço, em 1961, e com as fotografias da missão Apolo, a Terra surge-nos pela primeira vez inteira ao nosso olhar, cai nas nossas mãos por obra da fotografia e da técnica que a reproduziu e permitiu sair dela – vê-la de fora. Os efeitos deste surgir como planeta e não como suporte são decisivos. Se no inconsciente da História a retalhámos em países e mapas, numa geopolítica violenta, se dividimos os humanos por nações e raças, somos agora obrigados a repensar tudo o que foi feito. Sobre tudo o que herdámos, pesa agora esse objeto que se desloca dos nossos pés para pesar sobre todos nós, exigindo novas possibilidades de ser habitada. Neste 3º Ciclo Internacional TMP/ULP deixaremos confrontar livremente esses novos olhares que passam por temáticas como a geofilosofia, o antropoceno, a crise climática, as teorias de Gaia, a globalização, a arte global ou o ativismo em rede.


JÜRGEN BOCK vive e trabalha em Lisboa, como curador, editor e crítico de arte. É diretor da Maumaus e professor convidado da Academia de Arte de Malmö (Universidade de Lund). Lecionou nos mestrados em Estudos Curatoriais, na Universidade de Lisboa (2007- 2011), e Práticas Artísticas Contemporâneas, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (2006-2007). Editou/organizou as publicações Da Obra ao Texto: Diálogos sobre a Prática e a Crítica na Arte Contemporânea (Centro Cultural de Belém, 2002), Allan Sekula. Ship of Fools / The Dockers’ Museum (Maumaus, 2015), TITANIC’s wake, de Allan Sekula (Maumaus, 2003), e Negociações na Zona de Contacto, de Renée Green (Assírio & Alvim, 2003). Entre os muitos projetos de curadoria destacam-se The Dockers’ Museum, de Allan Sekula (Museu Johann Jacobs, Suíça, 2015; La Criée, França, 2012;); Heimo Zobernig (Museu Rainha Sofia, Espanha, 2012); Heimo Zobernig e a Coleção do Centro de Arte Moderna (Fundação Calouste Gulbenkian, 2009); Hard Rain Show, de Ângela Ferreira (Museu Coleção Berardo, 2008); Drawing a Tension - Obras da Colecção do Deutsche Bank (Fundação Calouste Gulbenkian, 2008); e Project Room (Centro Cultural de Belém, 2000-2001).

Espetáculos

1018.30hTer

RIVOLIPequeno Auditório

Conferências
Em parceria com Universidade Lusófona do Porto
Preço Entrada gratuita (mediante levantamento de bilhete)