Raimund Hoghe

36, Avenue Georges Mandel

Raimund Hoghe

© Christophe Raynaud de Lage

Maio

14/05 sáb 15:00

TMP ONLINE

Dança
Alemanha
Duração 1h30
Condições TMP Online Visualização disponível durante 24h, nesta página do site do TMP
É uma rotina simples, a expressão de um espaço e tempo. Criada em 2007, 36, Avenue Georges Mandel é uma forma de convocar a presença de Maria Callas e de nos lembrar da natureza exigente da sua arte, do canto clássico e do poder dramático das figuras que trouxe à vida — Carmen, Norma, Tosca. A esta voz que enche o palco, Raimund Hoghe opta por subtrair em vez de adicionar, criando uma zona frágil onde a música pode ressoar. O espaço efémero que constrói usando o seu material habitual funciona aqui como um intermediário: entre ela e nós, entre o passado e o presente. Entre 2007 e 2022. Acabando com gestos e roupas, Raimund Hoghe deixa a voz guiá-lo e vesti-lo, e torna-se o fantasma dessa presença, abrindo uma brecha entre a presença dos corpos e o outro mundo de um tom.


Raimund Hoghe encontra-se entre os artistas internacionais de maior renome dentro do seu género. Foi dramaturgo no Tanztheater Wuppertal Pina Bausch entre 1980 e 1989. Passou os últimos 25 anos a criar um corpo de trabalho coreográfico desafiador, alternando solos e apresentações em grupo (Sacre – The Rite of Spring, Swan Lake, 4 Acts, Boléro Variations, entre outros), que revisitam obras importantes da história da dança. Todas as suas peças assentam numa enorme delicadeza, um tecido feito de gestos, formas e melodias que imbui da espessura da memória. Em 2019, Raimund Hoghe recebeu o título de Oficial da Ordem das Artes e Letras do Ministro da Cultura francês. Viveu em Düsseldorf e morreu, inesperadamente, a 14 de maio de 2021, com 72 anos.

Maio

14/05 sáb 15:00

TMP ONLINE

Dança
Alemanha
Duração 1h30
Condições TMP Online Visualização disponível durante 24h, nesta página do site do TMP
Conceito, coreografia e cenografia Raimund Hoghe
Colaboração artística Luca Giacomo Schulte
Intérpretes Emmanuel Eggermont, Raimund Hoghe, Luca Giacomo Schulte
Música Bellini, Donizetti, Verdi, Spontini, Giordano, Gluck, Massenet, Catalani, Saint-Saëns, Bizet interpretado por Maria Callas
Luz Raimund Hoghe, Amaury Seval
Fotografia Rosa Frank
Direção de produção Mathieu Hillereau — Les Indépendances
Produção Hoghe & Schulte
Coprodução Ganesa Production-Spring Wave (South Korea), Festival d'Avignon, Centre national de danse contemporaine d'Angers, Theater im Pumpenhaus Münster
Com o apoio de Ministerium für Kultur und Wissenschaft des Landes Nordrhein-Westfalen, Kunststiftung NRW, Kulturamt der Landeshauptstadt Düsseldorf
Agradcimentos agnès b. Paris