Xavier Bobés

Corpus

Xavier Bobés

© Martí Albesa

FIMP 2022

Outubro

8/10 sáb 18:0020:00
9/10 dom 18:0020:00

CAMPO ALEGREPalco do Auditório

vida ⁄ passado ⁄ criação ⁄ objeto
Estreia nacional
Preço 7€
Duração 45min
Classificação etária 12+
Farto de tudo, a paz da morte imploro
Para não ver no mérito um pedinte,
E o nulo se ostentando sem decoro,
E a fé mais pura em degradado acinte,
E a honra, que era de ouro, regredida,
E a virtude das virgens violada,
E a reta perfeição ser retorcida,
E a força pelo fraco subjugada, E a prepotência amordaçando a arte,
E impondo regra o tolo doutoral,
E a verdade singela posta à parte,
E o bem cativo estar do ativo mal:
Farto de tudo, a morte é o bom caminho,
Mas, morto, deixo o meu amor sozinho.
— Soneto 66, de William Shakespeare

Corpus propõe o encontro entre uma peça escultórica, um manipulador e um músico. É também uma viagem, entre o homem e a sua forma, um diálogo impossível, recuando por caminhos, desmontando as horas de uma vida, diminuindo até desaparecer de novo. Com o desejo de que o silêncio e a quietude exibam a sua eloquência. 


Xavier Bobés é um criador cénico e define-se como autodidata. Apaixonado pela poética dos objetos, pesquisa há mais de dezassete anos todos os tipos de objetos do quotidiano. Colabora com outros criadores assessorando processos de investigação e escrita tendo o objeto como ponto de partida. A sua pesquisa procura o conteúdo simbólico e teatral nos objetos e em tudo o que aparentemente é banal. Fá-lo através da criação, do ensaio e do ensino.

FIMP 2022

Outubro

8/10 sáb 18:0020:00
9/10 dom 18:0020:00

CAMPO ALEGREPalco do Auditório

vida ⁄ passado ⁄ criação ⁄ objeto
Estreia nacional
Preço 7€
Duração 45min
Classificação etária 12+
Criação e interpretação Xavier Bobés
Criação escultórica Gerard Mas
Conceção e interpretação musical Frances Bartlett
Cenografia Pep Aymerich
Desenho de luz CUBE
Produção Imma Bové
Assessoria à criação Eric de Sarria
Figurino CarmePuigdevalliPlantés
Técnico de luz Xavi Moreno / Albert Coma / Mario Andrés