Aurélien Bory / Shantala Shivalingappa - © Aglae Bory

© Aglae Bory

88º Aniversário Teatro Rivoli

18 Sáb 21.30h 19 Dom 17.30h

RIVOLI Grande Auditório

Entrada gratuita • 1.00h • >6  

Aurélien Bory / Shantala Shivalingappa

aSH

Dança ⁄ Teatro
França / Índia
Estreia nacional
Aurélien Bory / Shantala Shivalingappa - © Aglae Bory

© Aglae Bory

 
Conheci a Shantala Shivalingappa em 2008, nos bastidores de um teatro em Dusseldorf, onde era convidada da Pina Bausch. Foi aí que tudo se alinhou de forma realmente poderosa. aSH é o opus final na trilogia de retratos de mulheres iniciada dez anos antes com Questcequetudeviens? (2008) e que continuou com Plexus (2012). Nessa trilogia, não tomo como ponto de partida o espaço, que é o meu tema habitual no teatro, mas uma mulher, uma pessoa com uma história, um ser vivo que se revela através da dança. Shiva, o deus da dança, habita a Shantala Shivalingappa. De acordo com a literatura, Shiva tem mais de mil nomes. É um deus de criação e destruição. A cinza [ash] não é apenas o resíduo sólido da combustão perfeita, é aqui um processo. Faz parte de um ciclo de nascimento e morte que começa do nada – o início de qualquer forma no teatro – e tende para uma forma efémera antes de desaparecer. A dança de Shantala assemelha-se a um kolam, um desenho feito no chão com farinha de manhã, destruído pelo vento durante o dia e refeito no dia seguinte. Círculos, pontos, simetrias, espirais, fractais… a dança dela parece ser uma representação da própria estrutura do mundo. Em aSH, título formado com as iniciais do primeiro e último nomes dela, gostaria que o espaço tivesse todo um ritmo. Gostaria que o espaço começasse por se exprimir como uma vibração, a qual é depois apanhada, transformada e prolongada indefinidamente pelo percussionista Loïc Schild. A dança de Shantala baseia-se na sua viagem da Índia para a Europa, do kuchipudi a Pina Bausch, de Shiva a Dionísio, deus do teatro, que alguns dizem descender do mesmo deus. Shantala está sempre a viajar entre Madrasta, onde nasceu, e Paris, onde vive. A sua dança é um pêndulo perpétuo, muito à semelhança do nosso encontro: algures entre a mística hindu e a física quântica. – Aurélien Bory  


Aurélien Bory nasceu em 1972 em Colmar, França. Aurélien estudou física, o que o levou a trabalhar no campo da acústica arquitetónica. O artista Mladen Materić, que conheceu no Théâtre Garonne, introduziu-o ao ofício da representação. Em 2000, fundou a Compagnie 111, em Toulouse. Leva a cabo um teatro físico, singular e híbrido, cruzando várias disciplinas: circo, dança, artes visuais e música. Intrigado com a questão do espaço, as suas composições, que espelham uma estética peculiar, são impulsionadas pelas ciências e assentam grandemente na cenografia. O seu reportório conta com 13 criações e é interpretado em teatros conceituados em França e no estrangeiro. 

Shantala Shivalingappa divide o tempo entre Madrasta, onde nasceu, e Paris, onde cresceu. Teve formação em dança indiana clássica em tenra idade com a mãe, a bailarina Savitry Nair, e depois com o mestre Vempati Chinna Satyam, no estilo kuchipudi. Desde os 13 anos, teve o privilégio de trabalhar com alguns dos maiores artistas do nosso tempo: Maurice Béjart, Peter Brook, Bartabas, Pina Bausch e Amagatsu. É hoje internacionalmente reconhecida como uma bailarina excecional e embaixadora do kuchipudi, partilhando o seu entusiasmo por esse estilo em todo o mundo. Foi a primeira a ganhar um Prémio Bessie (2013) para um estilo sul asiático com a sua peça Shiva Ganga. Apaixonada pelos encontros entre as pessoas e o percurso artístico que desencadeiam, também se deleita ao colaborar com diferentes artistas na exploração da dança, da música e do teatro. 
  • Com
    Shantala Shivalingappa
    E
    Loïc Schild (percussão)
    Conceção, cenografia e direção
    Aurélien Bory
    Coreografia
    Shantala Shivalingappa
    Dramaturgia
    Taïcyr Fadel
    Desenho de luz
    Arno Veyrat com assistência de Mallory Duhamel
    Música
    Joan Cambon
    Conceção técnica do cenário
    Pierre Dequivre, Stéphane Chipeaux-Dardé
    Figurinos
    Manuela Agnesini, Nathalie Trouvé
    Direção técnica
    Arno Veyrat
    Direção de cena
    Thomas Dupeyron / Robin Jouanneau
    Direção de som
    Stéphane Ley
    Direção de luz
    Mallory Duhamel / Thomas Dupeyron
  • Chefe de produção
    Florence Meurisse
    Direção de produção 
    Clément Séguier-Faucher
    Logística
    Justine Cailliau Konkoj
    Imprensa
    Plan Bey Agency
    Canções
    Winterreise [Viagem de Inverno], de Franz Schubert
    Citações
    Georges Perec, Espèces d’espaces, © Éditions Galilée, 1974
    Produção
    Compagnie 111 – Aurélien Bory
    Coprodução
    ThéâtredelaCité – CDN Toulouse Occitanie, Festival Montpellier Danse 2018, Agora – PNAC Boulazac-Nouvelle-Aquitaine, La Scala – Paris, L’Onde Théâtre Centre d’Art – Vélizy-Villacoublay
    Participação artística
    ENSATT – Lyon
    Ensaios e residências
    La nouvelle Digue-Toulouse, ThéâtredelaCité – CDN Toulouse Occitanie  

88º Aniversário Teatro Rivoli

16 Qui, 18 Sáb & 19 Dom

Ano após ano comemoramos o aniversário do Teatro da Cidade. Dois dias abertos a todos, gratuitos, nos quais o Teatro Municipal do Porto desvenda um pouco do que se faz ao longo do ano. Vários espetáculos, instalações e concertos atestam a programação pluridisciplinar que caracteriza o Rivoli e o Campo Alegre atravessando a tradição e a contemporaneidade. Este ano, o Aniversário inicia-se com uma sessão especial das Quintas de Leitura, com caráter solidário; convidamos ainda o espetáculo "ASH", ode visual e coreográfica de Aurélien Bory & Shantala Shivalingappa; Visões Úteis – companhia de teatro da cidade que apresenta a mais recente criação; o espetáculo para famílias Narrow da companhia belga Laika; curtos formatos ocupam vários espaços do Rivoli em simultâneo com criações de Daniel Seabra, Sonoscopia e dos Jovens Artistas Associados – a dupla Guilherme de Sousa & Pedro Azevedo e Ana Isabel Castro; entre outros espetáculos a descobrir. Será também durante o dia 18 de janeiro, que apresentaremos a agenda de programação para os meses de março a julho. O nosso aniversário é também uma forma de começar um novo ano, com a energia renovada e com a pulsão artística que nos caracteriza. Estão todos convidados a passar estes dois dias especiais connosco!

A entrada é gratuita e os bilhetes (para sábado e domingo) podem ser levantados na Bilheteira do Teatro Rivoli no sábado, 18 de janeiro, a partir das 11h00, no máximo de dois bilhetes por pessoa e por espetáculo (sujeito à lotação das salas).
Os bilhetes que ficarem disponíveis e que não forem levantados no sábado, poderão ser levantados no domingo, 19 de janeiro, a partir das 11h00, nas mesmas condições acima enunciadas.

Visões Úteis

Visões Úteis Little B

88º Aniversário Teatro Rivoli
15 Qua 21.00h 16 Qui 19.00h 17 Sex 21.00h 18 Sáb 18.30h19 Dom 14.30h
RIVOLI Pequeno Auditório

Teatro
Laika

LaikaNarrow — Uma casa muito pequena

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 14.30h & 16.30h 19 Dom 11.30h
RIVOLI Sala de Ensaios

Teatro
Estreia nacional
Bélgica
Ana Isabel Castro

Ana Isabel CastroMarengo

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 16.00h 19 Dom 16.00h
RIVOLI Café

Dança
JAA! Jovens Artistas Associados
Daniel Seabra

Daniel SeabraCrisálida

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 16.00h 19 Dom 16.00h
RIVOLI Subpalco

Circo Contemporâneo
Sonoscopia

SonoscopiaPhonopticon

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 16.00h 19 Dom 16.00h
RIVOLI Foyer do Pequeno Auditório

Música
Guilherme de Sousa & Pedro Azevedo

Guilherme de Sousa & Pedro AzevedoHorto - Uma forma que vem do toque

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 16.00h 19 Dom 16.00h
RIVOLI Foyer do Grande Auditório

Performance ⁄ Instalação
JAA! Jovens Artistas Associados
Aurélien Bory / Shantala Shivalingappa

Aurélien Bory / Shantala ShivalingappaaSH

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 21.30h 19 Dom 17.30h
RIVOLI Grande Auditório

Dança ⁄ Teatro
França / Índia
Estreia nacional
Understage

UnderstageMohammad Reza Mortazavi

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 23.30h
RIVOLI Subpalco

Música
Em coprodução com Matéria Prima
Irão
King Earthquake

King Earthquake

88º Aniversário Teatro Rivoli
18 Sáb 23.30h
RIVOLI Café

Festa
Reino Unido
Em parceria com Matéria Prima