Victor Hugo Pontes

Os três irmãos

Victor Hugo Pontes

© José Caldeira

DDD — NO PALCO / EM CASA

Abril

No palco (presencial)
2619.00hSeg
Em casa (transmissão online)
2622.00hSeg2823.59hQua
Sala Virtual DDD (BOL)

RIVOLIGrande Auditório

Dança
Preço 9€ (presencial) / 3.50€ (online)
Duração 1.30h
Classificação etária >12 
Transmissão online tmp.bol.pt/live
Victor Hugo Pontes coloca em cena três bailarinos imaginados pelo escritor Gonçalo M. Tavares para esta nova criação. Abelard, Adler e Hadrian são Os Três Irmãos: quando se encontram naquele não-lugar, procuram o rasto dos seus pais, marcam a giz a sua ausência, lavam-se, comem juntos à mesa, carregam os corpos uns dos outros em sacrifício ritualizado, carregam-se aos ombros, vivem em fuga, praticam o jogo perigoso do encontro com o passado. Abelard, Adler e Hadrian tentam fazer a sua ligação à terra e sobreviver à existência uns dos outros, mesmo se esta houver sido esburacada a berbequim, enrodilhada numa trouxa de roupa, transportada num carrinho de mão. 


VICTOR HUGO PONTES nasceu em Guimarães, em 1978. É licenciado em Artes Plásticas – Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Em 2001, frequentou a Norwich School of Art & Design, Inglaterra. Concluiu os cursos profissionais de Teatro do Balleteatro Escola Profissional e do Teatro Universitário do Porto, bem como o curso de Pesquisa e Criação Coreográfica do Forum Dança. Como criador, a sua carreira começa a despontar a partir de 2003 com o trabalho Puzzle. Desde então, vem consolidando a sua marca coreográfica, tendo apresentado o seu trabalho por todo o país, assim como em Espanha, França, Itália, Alemanha, Rússia, Áustria, Brasil, entre outros.

DDD — NO PALCO / EM CASA

Abril

No palco (presencial)
2619.00hSeg
Em casa (transmissão online)
2622.00hSeg2823.59hQua
Sala Virtual DDD (BOL)

RIVOLIGrande Auditório

Dança
Preço 9€ (presencial) / 3.50€ (online)
Duração 1.30h
Classificação etária >12 
Transmissão online tmp.bol.pt/live
Direção artística Victor Hugo Pontes
Texto original Gonçalo M. Tavares
Interpretação Dinis Duarte, Paulo Mota, Valter Fernandes
Música original  Joana Gama, Luís Fernandes
Cenografia F. Ribeiro
Desenho de luz  Wilma Moutinho
Figurinos Cristina Cunha, Victor Hugo Pontes
Consultoria artística Madalena Alfaia
Direção de produção Joana Ventura
Produção executiva  Mariana Lourenço
Apoio à residência Circolando, Lugar Instável, Centro Cultural Vila Flor
Coprodução Nome Próprio, Teatro Municipal do Porto/DDD – Festival Dias da Dança, Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, Teatro Viriato, Cineteatro Louletano, São Luiz Teatro Municipal
A Nome Próprio é uma estrutura residente no Teatro Campo Alegre, no âmbito do programa Teatro em Campo Aberto e tem o apoio da República Portuguesa - Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes.