Marlene Monteiro Freitas

Guintche (2010)

Marlene Monteiro Freitas

© Bob Lima

Re:Montar

2121.00hQua
2221.00hQui

CAMPO ALEGREPalco do Auditório

Dança
Com Cookie & Simon Lacouture
Cabo Verde/Portugal
7€ • 1.00h • >6
Esta peça deriva de uma pessoa que eu desenhei como lembrança de um concerto. Dei-lhe o nome de Guintche e, entretanto, cresceu, ganhou uma vida própria, ganhou autonomia, rebelou-se. Guintche é uma palavra da língua crioula cabo-verdiana: é o nome de um pássaro, o nome de uma prostituta, mas também pode representar uma atitude, a de alguém que salta de um evento para o outro, sem coerência nas suas escolhas. Através da sua estrutura contraintuitiva, Guintche responde à escultura em cera — derrete, solidifica, muda de forma… No entanto, mantém sempre a mesma natureza, ou seja, permanece feita da mesma cera. — Marlene Monteiro Freitas


MARLENE MONTEIRO FREITAS nasceu em Cabo Verde onde cofundou o grupo de dança Compass. Estudou dança na P.A.R.T.S., em Bruxelas, na Escola Superior de Dança e na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Trabalhou com Emmanuelle Huynh, Loïc Touzé, Tânia Carvalho, Boris Charmatz, entre outros. Criou as peças Bacantes – Prelúdio para uma Purga (2017), Jaguar com a colaboração de Andreas Merk (2015), de marfim e carne - as estátuas também sofrem (2014), Paraíso - colecção privada (2012-13), (M)imosa com Trajal Harrell, François Chaignaud e Cecilia Bengolea (2011), Guintche (2010), A Seriedade do Animal (2009-10), A Improbabilidade da Certeza (2006), Larvar (2006) e Primeira Impressão (2005). Estas peças têm como denominador comum a abertura, a impureza e a intensidade. Em 2017, a Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) atribuiu a Jaguar o prémio de melhor coreografia e, no mesmo ano, foi distinguida pelo Governo de Cabo Verde pelas suas realizações culturais. Em 2018, a Bienal de Veneza atribuiu a Marlene o Leão de Prata na categoria de Dança. É cofundadora da P.OR.K, estrutura de produção sediada em Lisboa.

Re:Montar

2121.00hQua
2221.00hQui

CAMPO ALEGREPalco do Auditório

Dança
Com Cookie & Simon Lacouture
Cabo Verde/Portugal
7€ • 1.00h • >6
Coreografia e interpretação Marlene Monteiro Freitas
Live music Cookie and Simon Lacouture (baterias)
Luz Yannick Fouassier
Música Johannes Krieger (trompete), “Rotcha Scribida” de Amandio Cabral, Cookie & Simon Lacouture (baterias), Otomo Yoshihide (excerto de solo de guitarra), Anatol Waschke (estilhaços)
Produção P.OR.K
Distribuição Key Performance
Residências artísticas O Espaço do Tempo, Alkantara Festival
Com o apoio de Re.Al, Forum Dança, Bomba Suicida
Agradecimentos Avelino Chantre, Pedro Lacerda, João Francisco Figueira, Anatol Waschke
Coprodução ZDB-Negócio

Conteúdo Relacionado